Whats: (11)991916085

Você está em: Página inicial / Especiais / A luz da esperança

Terapia de Regressão de Memória

A luz da esperança

Livro: A luz da esperança

Autor - Fonte: Marie Ferrarella

Ir para a página:

... A Baby changes everthing
Fortune Texas: O Encontro 02


Após cincos anos de dedicação e amor ao marido, Savannah Perez sentia que seu casamento com Cruz estava se desgastando.
Ela o amava muito, porém, a devoção obsessiva do marido com a fazenda estava destruindo a relação. Cruz Perez ignorava os olhares insatisfeitos que recebia ao chegar em casa, tarde da noite.
Sabia que teria de convencer sua mulher, grávida de outro filho, que ela era tudo para ele – antes que fosse tarde demais.




Digitalização: Anne Medina
Revisão: Nelma


UM

 Ei, tinha desistido de vocês dois.
Vanessa Fortune Kincaid abriu a porta ansiosamente ao primeiro toque da campainha e em seguida abraçou com força sua grande amiga. Deu um passo atrás, olhou demoradamente para Savannah Perez e não gostou do que viu. O sorriso de Savannah, sempre tão iluminado, estava ausente

Savannah suspirou, de mãos dadas com Luke, seu filho de cinco anos. Luke não parava de falar ou de se mover desde a hora em que acordou, de manhã. A palavra "vibrante" havia sido criada especialmente para descrever seu filho.
Savannah forçou um sorriso murcho. Foi o melhor que conseguiu oferecer a amiga.
 Você não seria a primeira pessoa.
Vanessa agachou-se para dar um forte abraço em seu afilhado. O menino cheirava levemente a geléia de framboesa e creme de amendoim, componentes de seu sanduíche preferido.
 Como vai o homenzinho mais lindo do mundo?
Luke sorriu radiante.
 Bem, tia Nessa.  Ele enfiou as mãos nos bolsos traseiros da calça jeans, imitando seu pai, ergueu a cabeça e arregalou os belos olhos negros ao perguntar:  Tem alguma coisa para mim?
 Luke!  Envergonhada, Savannah corou, colorindo um pouco suas pálidas bochechas.  Que feio pedir que alguém te dê um presente!
 Eu não sou "alguém"  disse Vanessa, piscando para o menino.  Sou a tia Nessa.
Vanessa pôs-se de pé e fez um gesto de indiferença aos protestos de Savannah. Elas se conheciam há tempo demais para que houvesse etiquetas e formalidades.
Vanessa foi até um armário e abriu uma das portas.
 Na verdade, tenho sim algo para Luke.
Ela retirou um objeto de dentro e o escondeu atrás de si ao se virar para o menino.
Luke saltava de um lado para o outro. Seus olhos brilhavam. Rindo de satisfação, Vanessa entregou ao afilhado a última das novidades em filmes de ação. O personagem musculoso, com a camisa tão apertada que parecia que iria rasgar, era de um filme que ainda não havia sido lançado, mas já se tomara uma febre entre os adolescentes menores de 12 anos.
Luke deu um berro de felicidade.
 Uau! É o Big Jake, o caçador de monstros.
 E ainda vem com um monstro para ele exterminar.  Vanessa apontou para outra figura na caixa, bastante ofuscada pelo herói.
 Uau!  Luke abriu o embrulho com ansiedade. Vanessa o ajudou. Livres da prisão de plástico, os dois bonecos saltaram pelo ar.
 Você esta mimando esse garoto, Vanessa  criticou Savannah.
Luke se sentou e parecia tão imerso na batalha fantástica entre o herói e o monstro que parecia indiferente a mãe e a madrinha. Vanessa sorria de ponta a ponta, enquanto olhava o menino.
 Ei, gosto de bisbilhotar lojas de brinquedos. Comprar presentes para o Luke é a desculpa perfeita para eu poder passear nesses lugares.  Depois que perdeu o bebê, Vanessa queria um filho mais que nunca. Agora que o marido, Devin, funcionário do FBI, só viajava ocasionalmente, havia mais chances de realizar o sonho da maternidade.
Vanessa agitou de leve os cabelos de Luke. Em seguida, foi até Savannah e sentou-se ao seu lado, no enorme sofá de couro bege. Savannah apoiava-se num dos braços do sofá, como se precisasse de ajuda para não cair.
Vanessa estava realmente preocupada com a amiga.
A voz de Savannah ao telefone soo ...

Ir para a página:

Busca Google