You are using an outdated browser. For a faster, safer browsing experience, upgrade for free today.
A arte da conquista

Livro: A arte da conquista Página 2

Autor - Fonte: Nicola Marsh

Anterior 2 / 61 Próxima
... contraria uma outra maneira de manter a Colour by Dreams. Tinha de encontrar. Havia prometido à tia Barb, fundadora daquela incrível galeria, a mulher que praticamente a criara, que o patrimônio dela sobreviveria. E Ariel faria qualquer coisa para cumprir sua promessa. O leve badalar do sino ao vento indicou a entrada de um visitante, e Ariel ficou tensa, tirando as mãos do rosto e se preparando para um confronto estranho. Sabia o quanto estudantes universitários precisavam de dinheiro, e dispensar alguns rapazes pobres não a agradava. Se alguém sabia como era ser pobre, era ela. Motivo pelo qual tinha de pintar seu primeiro retrato nu desde a escola de artes. Não havia escolha. - Olá? Tem alguém aí? - Estou indo - gritou Ariel, dando uma última olhada para a porta dos fundos, desejando poder fugir. Em vez disso, alisou a saia favorita, ocre, amarrou a bandana nos cachos rebeldes e assumiu uma atitude de comando antes de passar pela cortina de contas que separava sua área de trabalho da galeria da frente. - Srta. Wallace? Sou Cooper. - Olá, Cooper. Meu estúdio fica nos fundos, então vá indo para lá que vou trancar aqui e logo estarei com você. As palavras saíram apressadas, um misto de tensão, vergonha e choque. Tinha esperado um rapaz jovem, magro e desalinhado, parecendo quase tão embaraçado quanto ela se sentia. Em vez disso, esforçou-se para não olhar para Cooper. Não tinha interesse no nome dele. Não queria se envolver em um nível pessoal, considerando que logo o veria nu. Ariel engoliu em seco, incapaz de unir aquela palavra ao homem parado diante dela. Se havia se sentido mortificada em desenhar um estudante desgrenhado, sem roupa, o pensamento de Cooper. com mais de l,90m de altura, ombros largos, pernas longas, um sorriso deslumbrante, olhos muito azuis e cabelos escuros. posando para ela sem uma única peça de roupa a deixava positivamente tonta. Embora sua tonteira pudesse ser fruto da tinta a óleo. - Eu não ti ...
ha certeza que você iria querer fazer isso - disse ele, com ironia nos olhos, fazendo-os brilhar na parca luz e enviando uma onda de inesperada tranqüilidade para Ariel. - Não tenho escolha. Ela o olhou, perplexa pela confiança e equilíbrio dele. Aquele homem não estava nem um pouco envergonhado de ficar nu diante de uma estranha? Julgando por seu sorriso confiante e postura casual, obviamente não. - Nós sempre temos uma escolha, srta. Wallace - disse ele, a voz profunda ressoando na sala de teto alto, sexy como tudo nele. Meu Deus, e ele era sexy assim vestido! - Na verdade, não tenho escolha. Se eu não puder desenhá-lo na tela e vender o quadro pelo valor que me prometeram, vou perder este lugar para a imobiliária que está comprando todas as propriedades desta rua. Confusão surgiu nas feições dele, por um segundo, antes que franzisse o cenho levemente e parasse de sorrir. Ótimo, ela estava assustando seu primeiro modelo antes mesmo de começar. Soprando um cacho de cabelos dos olhos, Ariel falou: - Ouça, desculpe-me por lhe contar essas coisas. Tendo a tagarelar quando estou nervosa e, para ser honesta, não faço nus há muito tempo. Acho que estou um pouco acanhada. Ariel desviou os olhos e atravessou a sala, suas sandálias de contas tocando barulhentamente as tábuas do piso, não querendo vê-lo olhando-a como se ela fosse louca. Ou, pior, rindo dela. - Você acha que estou aqui como modelo? Trancando a porta e virando a placa para a face de "Fechado", ela voltou-se para encará-lo, desejando não precisar do dinheiro com tanto desespero. Nada valia tanto nervosismo, mesmo quando ele era o primeiro homem a lhe chamar a atenção em muito tempo. - Bem, não está? Ariel o estudou, olhando para os cabelos quase pretos e um pouco longos demais, caindo sobre o colarinho da camisa pólo azul-marinho, notando como o tecido moldava-lhe o peito impressionante, e, em seguida, olhando mais para baixo, onde um jeans desbotado cobria pe ...

Anterior 3 / 61 Próxima
Comentários:
Ju : Muito bom....
ilda: 04/10/2017 Lindo, maravilhoso, muito divertido no início do romance, ameiiiii.
Josy: Muito bom. Gostoso de ler..
jo: muito bom..
Cassia Bernardo: Adorei, uma delicia de historia..
Cassia Bernardo: Adorei, uma delicia de historia..
Deixe aqui seu comentário sobre este livro:
Nome:
Comentário: