You are using an outdated browser. For a faster, safer browsing experience, upgrade for free today.
A Meio Passo do Paraíso

Livro: A Meio Passo do Paraíso Página 2

Autor - Fonte: Susan Wiggs

Anterior 2 / 109 Próxima
... fim levara o buquê, o aglomerado de cavalheiros, rodeando o presidente, clamavam por sua atenção. A primeira dama e seu bando de mexeriqueiras falavam do último vexame da filha do senador Cabot. Embora os convidados se afastassem à frente, tal qual o mar Vermelho, Abigail tinha a nítida impressão de que adoravam testemunhar tamanha humilhação. Pressentindo diversos pares de olhos sobre si, atravessou o salão, ávida para atingir as portas do jardim antes que espirrasse novamente. Sem dúvida, causava um constrangedor espetáculo no casamento da amiga. Em primeiro lugar, não quisera ir à cerimônia e chegara a utilizar os mesmos argumentos para livrar-se do fardo: era desajeitada, estranhava as pessoas, inapta demais para dançar. Mas, claro, a insistência do pai prevalecera. O senador Franklin Rush Cabot sempre obtinha o que desejava, principalmente em se tratando da filha caçula, que almejava agradá-lo a qualquer custo. De cabeça baixa, Abigail concentrou-se na fuga, desviando-se de convidados, vasos de plantas e serventes. Ao sentir a ameaça de outro espirro, tirou o lenço da manga e cobriu o nariz com ele. Conseguiu conter a explosão, mas quase estourou os ouvidos. Aquele era um casamento na Casa Branca, Abigail pensou consigo, notando os olhares críticos em sua direção. Com trajes finos e gestos elegantes, aqueles convidados compunham a elite da capital: esposas de senadores, secretários de gabinete e industriais. Não havia nada mais interessante para entretê-los além de Abigail Cabot? As portas do jardim encontravam-se abertas, emoldurando o céu de outono. Ela tentou se apressar, mas seu passo era lento demais. Sempre fora, aliás. Desde pequena, já sabia que era diferente. Não pudera correr, pular corda ou brincar como às outras crianças. Mas, à noite, quando Abigail fitava o céu em busca das estrelas, sentia-se elevar. A segurança da varanda surgiu. Estava quase livre. Enfim, atravessou as portas e viu-se no pátio de ...
erto. O ar fresco de outono causou-lhe certo arrepio. Ao inspirar profundamente, percebeu que havia prendido a respiração. Abigail apoiou-se na murada de concreto. No mínimo, suas luvas ficariam imundas, mas não importava. Seria impossível encontrar um parceiro para dançar e ninguém seguraria sua mão naquela noite. Tal qual fizera em tantas ocasiões, Abigail nem sequer preenchera o pequeno caderno de dança. E tampouco acreditava um dia poder fazê-lo. Após ajeitar os cabelos, caminhou pelo pátio. O céu noturno começava a acalmá-la. Com freqüência, o nevoeiro do mar e as luzes da cidade interferiam na visão das estrelas. Contudo, aquela noite estava particularmente clara. Andrômeda cintilava, soberana; o grande cavalo, Pégaso, galopava em direção ao Sul. Saturno encontrava-se alto; em um mês, seria a vez de Júpiter. O lento e infinito mundo estelar envolveu Abigail. O firmamento, em toda sua glória, nunca julgava insignificantes criaturas que tinham o hábito de envergonhar-se em público. De súbito, o ruído de passos alertou-a. Negligenciava os próprios deveres ao se esconder como uma covarde. Não se tratava de qualquer casamento. Tratava-se de uma exuberante recepção oferecida pelo presidente e pela primeira dama. Abigail e a noiva, Nancy Kerry Wilkes, haviam estudado juntas no Liceu da srta. Blanding. A necessidade de agradar o pai tornava-se cada vez maior. Até agora ela só conseguira se ferir com o buquê e sofrer um ataque de alergia. Mas a noite ainda era uma criança, Abigail disse a si mesma e endireitou os ombros. Como um prisioneiro prestes a enfrentar o pelotão de fuzilamento, ela caminhou de volta ao salão. Cortinas de veludo, enfeitadas de bordões dourados, rodeavam a exuberante recepção. As taças de cristal refletiam a luz como diamantes. Durante sua gestão, o presidente Grant dera ao salão um ar gótico. Não satisfeito, o presidente Arthur contratara Louis Comfort Tiffany para cobrir o teto de prata e ...

Anterior 3 / 109 Próxima
Comentários:
Val 2018: Lindo..
Paula: Gostei! Divertida e emocionante.
Valeria Cristina: Gostei muito Boa a história só o do al que achei que poderia ter sido um pouco melhor .
Ana luiza: Muito muito muito lindo.
nadia: cade o final do livro .
jo: gostei,bom..
Deixe aqui seu comentário sobre este livro:
Nome:
Comentário: