Whats: (11)991916085


VÍDEO: É O FIM DO MUNDO OU O COMEÇO

Você está em: Página inicial / Marcantes / Amor em Segredo Página 2
Amor em Segredo

Livro: Amor em Segredo Página 2

Autor - Fonte: Maureen Child

Ir para a página:
...o ainda mais. Ela nem conseguia mais se lembrar de ter estado calma algum dia. Aquela história com Max já havia ido longe demais. Ela precisava encará-lo e contar toda a verdade. No dia seguinte, prometeu Julia a si mesma, ela lhe telefonaria, marcaria um encontro e jogaria a bomba em seu colo. As¬sim que tivesse cumprido o seu dever, ela poderia voltar à sua vida normal com a certeza de que um homem tão determinado a evitar qualquer tipo de conexão afetiva ja¬mais voltaria a incomodá-la. — Você parece entediada — disse uma voz feminina suave ao seu lado. Julia conseguiu sorrir apesar de tudo e voltou o seu olhar na direção de Carrie Gray. Seus olhos verdes es¬tavam escondidos por trás de um par de óculos excessi-vamente funcional e seu cabelo castanho comprido preso num rabo de cavalo no alto da cabeça. Ela usava jeans, uma camiseta e sandálias que deixavam ver suas unhas pintadas de vermelho escuro. Oficialmente, ela apenas cuidava da casa do príncipe Sebastian Stone, do 12B, mas era também uma talentosa, embora, no momento, desem-pregada, designer gráfica, além de uma boa amiga. — Entediada, não — cochichou Julia, inclinando-se na direção de Carrie —, apenas preocupada. Era difícil voltar a sua atenção para os problemas do prédio quando ela já estava completamente focada em algo bem mais profundo e pessoal. — Há algo eu possa fazer para ajudar? — perguntou Carrie. — Não — disse Julia, sabendo que só ela poderia re¬s...
lver aquela situação —, mas obrigada mesmo assim. E você, alguma novidade? — Só trabalhando, ou, pelo menos, tentando — res¬mungou Carrie. Julia sorriu, compreendendo imediatamente a que a amiga estava se referindo. — Continua tendo que lidar com as mocinhas que vêm visitar Trent? Carrie revirou os olhos e levou os óculos até o alto da cabeça. — É um pesadelo, Julia. Trent Tanford deve passar cada minuto do seu dia correndo atrás de mulheres, porque elas correm atrás dele no meu corredor dia e noite. Playboy notório, Trent ocupava as páginas das revistas de fofocas, sempre ao lado de uma nova mulher que, in¬variavelmente, ia parar no Park Avenue, 721. — Elas todas têm corpos esculturais e absolutamente nada na cabeça. Tocam sempre a campainha lá de casa achando que é o apartamento de Trent. Será que elas não conseguem reconhecer a diferença entre um 12B e um 12C? Ou será que Tanford só se envolve com mulheres que não saibam ler? Julia riu e deu um tapinha na mão da amiga, para então voltar a prestar atenção no restante da reunião. Ela deu uma olhada no apartamento de Vannick-Smythe, e, como sempre, não conseguiu achar absoluta¬mente nada de bom gosto! A decoração era tão chamativa que os olhos de Julia chegavam a doer. Tudo tão exces¬sivamente caro que era praticamente impossível ficar à vontade ali. O único aspecto positivo era que, assim, aquelas reuniões terminavam mais cedo. Naquele exato momento, Vivian Vannick-Smythe, a sín¬dica efetiva do prédio, uma vez que ninguém mais se inte¬ressara pelo cargo, bateu palmas para chamar a atenção de todos. Tinha pouco mais de 60 anos e um rosto repleto de aplicações de Botox, que, de tão esticado, quase não ti¬nha mais expressão alguma. Apenas seus olhos azuis frios ainda transmitiam alguma emoção. Ela era muito magra, usava roupas clássicas e elegantes, tinha um cabelo pratea¬do curto muito bem cortado e o porte de um oficial militar. Felizmente, ela havia prendido os seus dois Shi-Tzu no quarto aquela noite, mas nem mesmo a pesada porta que separava os dois monstrinhos da reunião era o suficiente para abafar seus latidos frenéticos. — Achei — disse Vivian assim que obteve a atenção de todos — que deveríamos dedicar um minuto de silêncio à memória de Marie Endicott antes de darmos início à reunião. Eu não a conhecia muito bem, mas ela era uma de nós, ainda que por pouco tempo. Todos silenciaram supostamente focados na mo¬radora do prédio que morrera há apenas uma semana. Julia e Marie não haviam trocado mais do que alguns cumprimentos, mas a sua morte, conseqüência de uma queda sofrida do telhado, causara um enorme impacto em todos. Os jornais e emissoras de TV haviam passado dias acampados em frente ao edifício, atormentando os mo¬radores em busca de declarações, ou melhor, de algum escândalo que lhes rendesse uma boa manchete. — Alguém obteve mais alguma informação sobre o que exatam...
ck-Smythe, a sín¬dica efetiva do prédio, uma vez que ninguém mais se inte¬ressara pelo cargo, bateu palmas para chamar a atenção de todos. Tinha pouco mais de 60 anos e um rosto repleto de aplicações de Botox, que, de tão esticado, quase não ti¬nha mais expressão alguma. Apenas seus olhos azuis frios ainda transmitiam alguma emoção. Ela era muito magra, usava roupas clássicas e elegantes, tinha um cabelo pratea¬do curto muito bem cortado e o porte de um oficial militar. Felizmente, ela havia prendido os seus dois Shi-Tzu no quarto aquela noite, mas nem mesmo a pesada porta que separava os dois monstrinhos da reunião era o suficiente para abafar seus latidos frenéticos. — Achei — disse Vivian assim que obteve a atenção de todos — que deveríamos dedicar um minuto de silêncio à memória de Marie Endicott antes de darmos início à reunião. Eu não a conhecia muito bem, mas ela era uma de nós, ainda que por pouco tempo. Todos silenciaram supostamente focados na mo¬radora do prédio que morrera há apenas uma semana. Julia e Marie não haviam trocado mais do que alguns cumprimentos, mas a sua morte, conseqüência de uma queda sofrida do telhado, causara um enorme impacto em todos. Os jornais e emissoras de TV haviam passado dias acampados em frente ao edifício, atormentando os mo¬radores em busca de declarações, ou melhor, de algum escândalo que lhes rendesse uma boa manchete. — Alguém obteve mais alguma informação sobre o que exatamente aconteceu com ela? — perguntou Tessa Banks, uma loira esbelta, quebrando o silêncio. — Boa pergunta — disse Elizabeth Wellington logo em seguida. — Eu ouvi alguns repórteres dizendo que a polícia achava que Marie pode ter sido empurrada do telhado. — Isso não passa de especulação — garantiu-lhe Vivian. — Alguém encontrou uma carta de despedida? — per¬guntou Carrie. — Não que eu saiba — respondeu Vivian, franzindo levemente as sobrancelhas. — Tenho certeza de que ne¬nhum de nós tem com o que se preocupar. Essa tragédia em breve será esquecida pela mídia e suplantada por ou¬tras notícias. Era verdade, pensou Julia enquanto os outros morado¬res continuavam a falar e a se perguntar a respeito do que acontecera a Marie Endicott. Em poucos dias, os repórte-res iam acabar desistindo e a vida voltaria a ser como era antes. Mas não para ela. — Eu ainda tenho alguns avisos — proclamou Vivian, erguendo a voz acima do burburinho. — Sinto ter que in¬formá-los que o senador Kendrick e sua senhora, antigos moradores do 721, se mudaram. Não sei exatamente para onde eles foram, mas creio que continuam na cidade. O apartamento deles está oficialmente à venda. O vozerio voltou a se intensificar. Julia passou os olhos pela pequena multidão ali reunida. Gage Lattimer estava sentado sozinho, o que não era nenhuma surpresa. Alto e lindo, ele raramente comparecia àquelas reuniões, e, quando o fazia, não se misturava com ninguém....
ente aconteceu com ela? — perguntou Tessa Banks, uma loira esbelta, quebrando o silêncio. — Boa pergunta — disse Elizabeth Wellington logo em seguida. — Eu ouvi alguns repórteres dizendo que a polícia achava que Marie pode ter sido empurrada do telhado. — Isso não passa de especulação — garantiu-lhe Vivian. — Alguém encontrou uma carta de despedida? — per¬guntou Carrie. — Não que eu saiba — respondeu Vivian, franzindo levemente as sobrancelhas. — Tenho certeza de que ne¬nhum de nós tem com o que se preocupar. Essa tragédia em breve será esquecida pela mídia e suplantada por ou¬tras notícias. Era verdade, pensou Julia enquanto os outros morado¬res continuavam a falar e a se perguntar a respeito do que acontecera a Marie Endicott. Em poucos dias, os repórte-res iam acabar desistindo e a vida voltaria a ser como era antes. Mas não para ela. — Eu ainda tenho alguns avisos — proclamou Vivian, erguendo a voz acima do burburinho. — Sinto ter que in¬formá-los que o senador Kendrick e sua senhora, antigos moradores do 721, se mudaram. Não sei exatamente para onde eles foram, mas creio que continuam na cidade. O apartamento deles está oficialmente à venda. O vozerio voltou a se intensificar. Julia passou os olhos pela pequena multidão ali reunida. Gage Lattimer estava sentado sozinho, o que não era nenhuma surpresa. Alto e lindo, ele raramente comparecia àquelas reuniões, e, quando o fazia, não se misturava com ninguém....

Ir para a página:
Comentários:
IFA: Oi, Revisora. O nome da personagem é Mia ou Júlia?.
Aninha: Muito lindo o romance, amei.
Ju: Já li.....
Rosângela: Que homem cabeça dura rsr, mais e ótimo o romance.
Mary Santos: O romance é emocionante amei,os pais dela são dois indiotas e Max chegou na metade do caminho com sua itiotice e teimosia.
jo: lindooo.....
Elizabeth: Muito linda a historia. Emocionante mesmo. .
Deixe aqui seu comentário sobre este livro:
Nome:
Comentário:

WhatsApp: (11) 9 9191 6085
Busca Google