You are using an outdated browser. For a faster, safer browsing experience, upgrade for free today.
A Máscara do Desejo

Livro: A Máscara do Desejo

Autor - Fonte: Kathryn Kramer

1 / 113 Próxima

... Desires Masquerade Kathryn Kramer Uma realidade sombria, entretanto, logo revelaria que Madrigal era filha do homem que traíra o pai de Stephen, a mulher que ele havia jurado destruir. E à medida que a traição espreitava nos corredores escuros do castelo, Madrigal precisava desesperadamente fugir para salvar a própria vida. disfarçando sua identidade, porém incapaz de esconder a paixão que sentia por seu mais mortal inimigo. Digitalização e Revisão: Crysty Querida leitora, Este livro conta a história de uma jovem destemida, muito à frente do seu tempo, cuja vida está em perigo por causa de um terrível segredo que ela esconde. Madrigal, nossa corajosa heroína, veste-se como homem e se faz passar por menestrel para cruzar a Inglaterra em guerra e chegar à mágica Veneza, onde descobre que a beleza do verdadeiro amor pode ir além de tudo o que se imagina. A história é cativante e vale à pena saborear cada página como se você estivesse sendo conduzida por um belo gondoleiro da romântica Veneza. Ótima leitura para você! Leonice Pomponio Editora Copyright 1987 by Kathryn Kramer Originalmente publicado em 1987 pela Dell Publishing Co. PUBLICADO SOB ACORDO COM KATHRYN KRAMER. NY.NY-USA Todos os direitos reservados. Todos os personagens desta obra são fictícios. Qualquer semelhança com pessoas vivas ou mortas terá sido mera coincidência. TÍTULO ORIGINAL: DESIRES MASQUERADE EDITORA Leonice Pomponio ASSISTENTE EDITORIAL Patrícia Chaves Maiza Prande Bernardello Vânia Canto Buchala EDIÇÃO/TEXTO Tradução: Débora Guimarães ARTE Mônica Maldonado MARKETING/COMERCIAL Andréa Riccelli PRODUÇÃO GRÁFICA Sônia Sassi PAGINAÇÃO Ana Beatriz de Pádua Copyright © 2009 Editora Nova Cultural Ltda. Rua Paes Leme, 524 — 10° andar — CEP 05424-010 — São Paulo — SP www.novacultural.com.br Impressão e acabamento: RR Donnelley Capítulo I Inglaterra, 1483 O fogo parec ...
a pulsar no ritmo da canção que ecoava pelo salão brotando do alaúde tocado magistral¬mente pela jovem de cabelos dourados. A beleza da melodia encantava todos que andavam pelo castelo. Caminhando no ritmo, eles cantavam com o coração embalado pelo som doce. — Ah, lady Madrigal toca como um anjo — mais de um deles já havia comentado. Debruçada sobre a balaustrada da galeria do menestrel, que atravessava todo o salão como uma pon¬te, a dama em questão nem percebia a admiração que provocava. Sua concentração se voltava toda para as cordas que os dedos delicados manejavam, e concen¬trada, ela continuou até a mão sobre seu ombro trazê-la de volta à realidade. — Eles dizem a verdade — uma voz baixa sussur¬rou em seu ouvido. — Você toca como um anjo. Pena não ser um homem. Teria sido um esplêndido menestrel ou trovador. Madrigal sorriu para o jovem de cabelos castanhos que era seu professor havia alguns meses. — Sim, é mesmo uma pena. — Podia se imaginar percorrendo os campos, conhecendo novos lugares e pessoas de todas as estradas da vida. Mas era impos-sível. Nenhuma mulher, muito menos uma dama, po¬deria considerar tal proeza. Suspirando, ela deixou de lado o alaúde. Logo estaria casada com um homem de igual posição e teria os filhos dele — um, dois, três, ou quatro — até ter o dobro do tamanho que tinha agora. Sua esperança era que o rei Ricardo III encon¬trasse para ela um homem gentil, alguém que não a tratasse com curiosidade nem gastasse todo seu di¬nheiro. Talvez, com o tempo, pudesse até aprender a amar o marido. Algum dia poderia conhecer o sentimento sobre o qual cantava? Ele existia de fato, ou era apenas um sonho que fazia os pobres tolos se agarrar eternamen¬te a uma ilusão? E mais, comentava-se ainda que seus pais haviam conhecido essa magia. Quando sua mãe morrera no parto, seu pai havia ficado inconsolável, definhando até ser apenas a sombra do que fora no passado, como se quisesse se ...

Anterior 2 / 113 Próxima
Comentários:
Aidil Ribeiro de Oliveira : Bom..
minuche: ufa" enfim ficam juntos os dois pombinhos.credo,q tantas idas e vindas e tantos desencontros e armações.fiquei muito cansada de tanto navegar,guerrear,armar contra e tudo o mais...mas quem tem verdadeiros amigos sempre será feliz no final de sua busca pela felicidade.gostei..
Paula: Emocionante!.
Haila.: Muito mas ela so vivi se perdendo.
Deixe aqui seu comentário sobre este livro:
Nome:
Comentário: