Whats: (11)991916085


VÍDEO: É O FIM DO MUNDO OU O COMEÇO

Você está em: Página inicial / Apaixonantes / Magia da paixão
Magia da paixão

Livro: Magia da paixão

Autor - Fonte: Margaret Mayo

Ir para a página:

...Julia nº566 Copyright: Margaret Mayo Título original: "Prisoner of the Mind" Publicado originalmente em 1988 Digitalização/ Revisão: m_nolasco73 Lucy estava decidida: o ódio a manteria imune ao fascínio de Conan. Contra capa: Apaixonado, Conan tinha de provar a Lucy sua inocência. "Lindos!", disse Conan, deliciado, ignorando a fúria de Lucy. “Quando está com raiva, seus olhos parecem duas esmeraldas.” Essas palavras provocaram nela um arrepio de excitação; sentimentos contraditórios digladiavam-se em seu íntimo. Assustada, ela não entendia como podia desejar o homem por quem nutria tanto rancor e a quem jurara odiar para sempre. Estaria enlouquecendo? Ou o que sentia por Conan ficava acima da razão? Este livro faz parte de um projeto sem fins lucrativos. Sua distribuição é livre e sua comercialização estritamente proibida. CAPÍTULO I - Oh, mamãe, você está maravilhosa! - Lucy largou as malas e abraçou a mãe. - Quando você escreveu, contando-me sobre Alan, não pensei que teríamos um casamento assim tão rápido. Estou morrendo de vontade de conhecê-lo. Deve ser um homem muito especial para tê-la feito quebrar a promessa de não se casar novamente. - É verdade. Não posso explicar como aconteceu; só sei que estou muito feliz. Seus olhos brilhavam e parecia muito mais jovem. O vestido azul caía-lhe muito bem, e o cabelo escuro, recém-cortado, já estava arrumado para o grande acontecimento do dia s...
guinte. - Não vamos ficar paradas aqui na escada. Alan nos espera lá dentro, e está ansioso para conhecê-la também. Era bom estar de volta, Lucy pensou; sentira falta do conforto de casa, enquanto estivera freqüentando o curso de secretariado. Alan Templeton estava na sala de visita. Era alto, cabelos grisalhos e apresentava um olhar sincero e um sorriso amigável. Não esperou que Valerie os apresentasse. Em vez disso estendeu as mãos e segurou as de Lucy entre as suas. - Lucy - falou, observando-a. - Você é exatamente como imaginava. - É um elogio? - ela perguntou, sentindo que iria gostar daquele homem. - Certamente que sim. Você é a imagem de sua mãe há vinte e cinco anos. Os mesmos lindos olhos verdes e o mesmo cabelo escuro. Qualquer pessoa poderia pensar que são irmãs, sabem disso? Aposto que até usam o mesmo manequim. Valerie Anderson parecia lisonjeada, e Lucy concluiu que Alan Templeton também era bem mais atraente do que imaginava. Deveria estar perto dos cinqüenta anos; de tipo atlético, não mostrava ainda nenhum traço da meia-idade e parecia que iria cuidar bem de sua mãe. - Bem - Valerie falou, sorrindo. - Aprovado? - Muito simpático - Lucy respondeu. - Alan é mais do que simpático. É a melhor coisa que poderia ter acontecido em minha vida. - Valerie encostou-se nele, e Alan colocou o braço possessivamente sobre seus ombros. - Estou feliz por você, mamãe. Parabéns para ambos. Tudo pronto para amanhã? - Sim - a mãe respondeu. - Gostaria que Conan estivesse aqui também - Alan comentou, parecendo um pouco contrariado. - Poderíamos todos ter uma calma noite em família, tentando conhecer um ao outro. - Está querendo dizer que não conhece minha mãe ainda? - Lucy perguntou maliciosamente. - Pensava em você e em meu filho. Afinal vocês estarão em contato daqui por diante. Lucy franziu a sobrancelha, parecendo não entender. - Tenho uma surpresa para você, querida. Arrumei-lhe um emprego como secretária de Conan. Você começa segunda-feira. Não é maravilhoso? - Valerie explicou rapidamente. - Segunda-feira? - Lucy arregalou os olhos verdes. - Que acha? - a mãe perguntou, ansiosa. - Tudo aconteceu muito depressa, e não tive tempo de consultá-la. A secretária de Conan pediu demissão, e ele estava desesperado procurando alguém para preencher o lugar. - Acho ótimo. Boas notícias. Obrigada, mamãe, e a você também, Alan. Nunca imaginei que começaria a trabalhar tão rapidamente. Quando posso conhecê-lo? - Amanhã cedo - Alan respondeu. Na manhã seguinte, Conan telefonou para dizer que se atrasara e que iria direto para a igreja. Lucy achou que não havia sido muito delicado da parte dele e que poderia ter feito um esforço, já que não é sempre que um pai se casa pela segunda vez. Ficou imaginando que tipo de homem seria seu futuro chefe. Quando Conan finalmente tomou o lugar no banco atrás do pai, Lucy observou-o com curiosidade. Alan era alto, mas o filho era...
spondeu. - Gostaria que Conan estivesse aqui também - Alan comentou, parecendo um pouco contrariado. - Poderíamos todos ter uma calma noite em família, tentando conhecer um ao outro. - Está querendo dizer que não conhece minha mãe ainda? - Lucy perguntou maliciosamente. - Pensava em você e em meu filho. Afinal vocês estarão em contato daqui por diante. Lucy franziu a sobrancelha, parecendo não entender. - Tenho uma surpresa para você, querida. Arrumei-lhe um emprego como secretária de Conan. Você começa segunda-feira. Não é maravilhoso? - Valerie explicou rapidamente. - Segunda-feira? - Lucy arregalou os olhos verdes. - Que acha? - a mãe perguntou, ansiosa. - Tudo aconteceu muito depressa, e não tive tempo de consultá-la. A secretária de Conan pediu demissão, e ele estava desesperado procurando alguém para preencher o lugar. - Acho ótimo. Boas notícias. Obrigada, mamãe, e a você também, Alan. Nunca imaginei que começaria a trabalhar tão rapidamente. Quando posso conhecê-lo? - Amanhã cedo - Alan respondeu. Na manhã seguinte, Conan telefonou para dizer que se atrasara e que iria direto para a igreja. Lucy achou que não havia sido muito delicado da parte dele e que poderia ter feito um esforço, já que não é sempre que um pai se casa pela segunda vez. Ficou imaginando que tipo de homem seria seu futuro chefe. Quando Conan finalmente tomou o lugar no banco atrás do pai, Lucy observou-o com curiosidade. Alan era alto, mas o filho era ainda mais; bastante forte, seu rosto não era exatamente bonito, mas interessante. Muito bronzeado, parecia ter vindo direto das férias. Murmurou algumas palavras por sobre o ombro do pai, e Em seguida ouviu-se o som da marcha nupcial. Valerie estava muito bonita. Vestia um tailleur de seda marfim, e seus olhos brilharam de felicidade quando sentou-se ao lado de Alan. Formavam um casal bonito. Lucy sentiu um nó na garganta ao ouvi-los fazer o juramento. Sua mãe merecia algo assim. Ficara completamente arrasada quando o marido morrera, e Lucy não nutria muitas esperanças de vê-Ia feliz novamente. Olhou de relance para Conan Templeton e reparou que ele a observava também. Seus olhos se encontraram, e Lucy teve a impressão de já tê-Io visto antes em algum lugar. Ficou intrigada e forçou a memória, mas nada lhe ocorreu. Por alguma estranha razão, sentiu-se perturbada e teve um pressentimento de que as recordações que tinha daquele homem não eram nada boas. Conan era um homem bastante atraente. Seus olhos eram tão escuros quanto o cabelo grosso, e no momento estavam semicerrados como se ele também a estivesse analisando. Afinal, por que não estaria? Iria trabalhar para ele e portanto deveria também estar interessado. Lucy mal conseguiu prestar atenção à cerimônia. Sabia que conhecia aquele homem, mas de onde? Quando teriam se encontrado? Em que circunstâncias? Sentiu-se perturbada e não muito certa de que realmente gostaria de trabalhar para ele....
ainda mais; bastante forte, seu rosto não era exatamente bonito, mas interessante. Muito bronzeado, parecia ter vindo direto das férias. Murmurou algumas palavras por sobre o ombro do pai, e Em seguida ouviu-se o som da marcha nupcial. Valerie estava muito bonita. Vestia um tailleur de seda marfim, e seus olhos brilharam de felicidade quando sentou-se ao lado de Alan. Formavam um casal bonito. Lucy sentiu um nó na garganta ao ouvi-los fazer o juramento. Sua mãe merecia algo assim. Ficara completamente arrasada quando o marido morrera, e Lucy não nutria muitas esperanças de vê-Ia feliz novamente. Olhou de relance para Conan Templeton e reparou que ele a observava também. Seus olhos se encontraram, e Lucy teve a impressão de já tê-Io visto antes em algum lugar. Ficou intrigada e forçou a memória, mas nada lhe ocorreu. Por alguma estranha razão, sentiu-se perturbada e teve um pressentimento de que as recordações que tinha daquele homem não eram nada boas. Conan era um homem bastante atraente. Seus olhos eram tão escuros quanto o cabelo grosso, e no momento estavam semicerrados como se ele também a estivesse analisando. Afinal, por que não estaria? Iria trabalhar para ele e portanto deveria também estar interessado. Lucy mal conseguiu prestar atenção à cerimônia. Sabia que conhecia aquele homem, mas de onde? Quando teriam se encontrado? Em que circunstâncias? Sentiu-se perturbada e não muito certa de que realmente gostaria de trabalhar para ele....

Ir para a página:
Comentários:
Bruna : Perfeito 18/02/2018 .
Ilda: 28/04/17 Gostei.
Pérola: Mocinha chata e rancorosa, mocinho besta!.
Mary Santos: Nossa é romance lindo fascinante amei demais .
Adriana: Lindo, mesmo. 31052015. Especial de se ler! .
joana silva: lindo, adorei este romance, espero que voçes gostem.
Deixe aqui seu comentário sobre este livro:
Nome:
Comentário:

WhatsApp: (11) 9 9191 6085
Busca Google