Whats: (11)991916085

Você está em: Página inicial / Excelentes / Herdeira do Orgulho Página 2
Herdeira do Orgulho

Livro: Herdeira do Orgulho Página 2

Autor - Fonte: Sharon Kendrick

Ir para a página:
...ito longe. Escondida atrás de enormes óculos escuros, correra para Londres e se hospedara em um hotel, usando um nome falso. Mas seu pai lhe telefonara na manhã anterior, oferecendo-lhe uma "oportunidade" de sair dali. Ela se perguntava por que ficara desconfiada. Talvez porque, apesar de Oscar ser seu pai biológico, ela não tivesse por ele o mesmo carinho que sentia por seu amado padrasto, Victor. Kat engoliu as lágrimas e seu rosto imediatamente assumiu a expressão de desafio que ela aprendera a fazer com perfeição. Não. Não queria pensar naquele assunto. Lembrar-se do passado ou do padrasto lhe traria emoções dolorosas que ela tentava a todo custo manter a distância, e que, a deixavam entristecida e culpada.
— Que tipo de oportunidade, pai? — ela perguntara num tom desconfiado. Enquanto esperava que ele respondesse, perguntava-se se seria a sua imaginação, ou se ele realmente havia falado com ela num tom áspero.
— O tipo de oportunidade que deve ser aproveit
da — ele respondera simplesmente. — Durante o baile, você não me disse que estava desgostosa com a sua vida, Kat?
Ela dissera isso? Tinha sido estúpida o suficiente para, num momento de fraqueza, revelar ao patriarca dos Balfour que se sentia profundamente solitária?
— Eu disse?
— Claro que disse. Por que não aproveitar a chance de mudar de ambiente, de ares? O que lhe parece uma viagem de iate pelo Mediterrâneo?
Parecia exatamente o que ela precisava: navegar e se afastar dali. Embora seu pai se recusasse a fornecer maiores detalhes, Kat sabia que deveria ser agradável. Apesar da impaciência que Oscar costumava demonstrar com as filhas, no fundo ele adorava mimá-las. Era por isso que agora ela estava sentada confortavelmente dentro de uma limusine luxuosa, dirigindo-se ao porto de Antibes, enquanto o sol provençal aquecia os turistas ricos. O mar cintilava em tons de cobalto e azul-claro. No embarcadouro estavam ancorados os maiores e mais luxuosos iates do mundo. Era tudo o que se esperava encontrar no sul da França: todo o glamour, brilho e dinheiro aos montes.
Com a facilidade adquirida por anos de prática, Kat ignorou suas preocupações assim que a limusine parou perto de uma série de maravilhosos iates.
— Ali está, senhorita — disse o motorista, apontando para o maior deles, onde ela viu alguns membros da tripulação vestidos em seus uniformes brancos, movimentando-se pelo deque.
Kat perdeu o mau humor ao deparar com o mais lindo iate que já vira. O seu formato aerodinamicamente calculado, alongado e com uma proa pontiaguda, lembrava uma gaivota emergindo do mar. Kat notou o deque de madeira envernizada, o reflexo azulado de uma piscina e um heliporto.
— Uau! — ela exclamou, sorrindo. Desde pequena, vivera em meio ao luxo e à riqueza. Sabia que os grandes iates custavam uma fortuna, e outro tanto para manter, mas aquele iate magnífico tinha um padrão todo seu. Era espetacular. Os turistas paravam para fotografá-lo. Kat imaginou a quem ele pertenceria e se perguntou por que seu pai se recusara a lhe contar. O nome do iate, pintado em letras arredondadas sobre o casco branco, nada lhe dizia: Corazón Frio. Por detrás das lentes escuras dos óculos, Kat franziu os olhos. O que será que aquilo queria dizer? Ela podia não saber, mas dava para perceber que estava escrito em espanhol. O coração dela levou um golpe e falhou. Espanhol. Como o homem que a ofendera e humilhara em público, e que, desde então, havia passado a assombrar os seus sonhos. Um homem de corpo firme e esbelto, de cabelos negros, e com o olhar mais implacável que ela já vira.
Kat afastou a lembrança desagradável e saiu do carro, notando que as pessoas, como sempre, paravam para observá-la. Quando se usa a aparência para chamar a atenção, as pessoas jamais enxergam o que há por baixo. As roupas passam a servir como uma armadura que impede que os outros se aproximem demais, o que é muito melhor e mais conveniente. Ela...

Ir para a página:
Comentários:
Mary Santos: comovente gostei muito.
Jo: Bom, mas o final poderia ser melhor..
Nina: É um lindo romance onde no final os dois conseguem superar seus medos..
Deixe aqui seu comentário sobre este livro:
Nome:
Comentário:

WhatsApp: (11) 9 9191 6085
Busca Google