Whats: (11)991916085


VÍDEO: É O FIM DO MUNDO OU O COMEÇO

Você está em: Página inicial / Apaixonantes / Encontros Com a Verdade
Encontros Com a Verdade

Livro: Encontros Com a Verdade

Autor - Fonte: ELISA MASSELLI

Ir para a página:

...ELISA MASSELLI SINOPSE: O livro conta a história de Marina, que vive no plano espiritual. Dedicada a suas atividades e habituada a nova situação, não entende por que desencarnou tão jovem, no auge da felicidade conjugal, deixando dois filhos pequenos. Convidada a fazer parte de uma equipe de socorristas espirituais teria a chance de voltar a Terra e rever sua família. Entretanto teria que enfrentar seus medos. Amparada por amigos verdadeiros, encontra a força necessária para acompanhar o grupo. Participa de missões especiais de ajuda a irmãos encarnados, sendo sua presença muito importante para que o destino seguisse seu caminho. Na volta à sua antiga casa, revê seus familiares e entende o motivo de tê—los deixado tão cedo. A leitura desta fascinante narrativa nos lembra que Deus está ao nosso lado e que Ele deseja sempre a nossa felicidade, ajudando—nos a enxergar soluções para situações que nós mesmos criamos a fim de estarmos preparados para nossos Encontros com a Verdade. Elisa Masselli. SUMÁRIO: O chamado. . 09 A viagem. . 19 Missão inesperada. . 29 A história de Marina. . 49 As visões de Leopoldo. . 67 Amor ao próximo. . 83 Façam o que falo, mas. . 112 Dominação. . 131 Lição de humildade. . 149 Eternamente amigos. . 191 A história de Jaime. . 214 Voltando para casa. . 224 O encontro das seis horas. 261 A fé remove montanhas. . 271 Encontro no sonho. . 276 A decis...
o de Gina. . 284 O elo quebrado. . 294 Ajuda providencial. . 304 A hora da verdade sempre chega. 314 O retorno. . 336 Epílogo. . 342 O CHAMADO O dia estava amanhecendo e os primeiros raios de sol começavam a surgir. Marina acordou, espreguiçou—se e sorriu feliz. Estava ansiosa, pois na tarde do dia anterior recebera um recado para que, no dia seguinte bem cedo, estivesse na sala de Humberto. Aquele recado a deixara eufórica. Sabia que, quando Humberto chamava alguém, era para transmitir uma boa notícia. Provavelmente seria convidada para participar de uma equipe e isso era o que mais queria desde que tomara conhecimento de sua situação. Morava em uma casa junto com outras pessoas que, assim como ela, não tinham parente algum ali. Viviam bem. Lógico que havia alguns problemas de adaptação, mas sempre conseguiam resolvê—los. Quando alguma coisa se tornava difícil, Ana que sempre recebia com muito carinho a todos que chegassem, estava ali para colocar as coisas em seu devido lugar. Dizia: — Todos estão aqui por pouco tempo, por isso é melhor que façam o possível para se adaptarem. A oração é a melhor conselheira. Marina havia chegado ali há algum tempo. Demorou em aceitar e entender aquela situação que, para ela, era nova. Todavia, com a ajuda de Ana e das outras pessoas, aos poucos foi se acostumando e agora estava muito bem. Por isso, estava tão ansiosa para o seu encontro com Humberto. Queria saber qual era a boa noticia e se ele a convidaria para viajar em uma equipe de socorro ao lado de espíritos superiores. Ela sempre ouvia falar sobre eles, mas ainda não havia conhecido nenhum. Esperava por aquele momento por tanto que, às vezes, julgou que não chegaria. Mas, enfim chegou. Olhou para o relógio, era muito cedo, mas, mesmo assim, levantou—se. Já de pé, esticou os braços para cima e alongou a coluna. Era uma prática que adquirira há muito tempo. Saiu para o quintal da casa. Olhou para o céu que estava se tornando vermelho e depois para o jardim, que mostrava flores de todas as cores. As folhas das árvores estavam muito verdes e brilhantes. O perfume das flores a invadiu. Ela respirou fundo e sorrindo, pensou: Como é lindo este lugar! Toda essa beleza só poderia partir de um Deus maravilhoso que ama seus filhos. Ele nos deu tudo para sermos felizes, por que complicamos tanto? Por que insistimos em sermos infelizes? Bem, por tudo o que aprendi desde que cheguei, Ele sempre soube que seria assim, por isso não deve ficar muito brabo. Se quisesse que fôssemos perfeitos, teria nos feito assim, mas não. Deixou que cada um de nós escolhesse o nosso caminho, para que pudéssemos aprender vivendo. Acho que Ele, quando fez isso, sabia qual seria o resultado. Ficou ali olhando tudo por um bom tempo. O céu agora estava quase todo claro e as nuvens, muito brancas, formavam figuras deslumbrantes. Marina tinha tudo para ser feliz...
qual era a boa noticia e se ele a convidaria para viajar em uma equipe de socorro ao lado de espíritos superiores. Ela sempre ouvia falar sobre eles, mas ainda não havia conhecido nenhum. Esperava por aquele momento por tanto que, às vezes, julgou que não chegaria. Mas, enfim chegou. Olhou para o relógio, era muito cedo, mas, mesmo assim, levantou—se. Já de pé, esticou os braços para cima e alongou a coluna. Era uma prática que adquirira há muito tempo. Saiu para o quintal da casa. Olhou para o céu que estava se tornando vermelho e depois para o jardim, que mostrava flores de todas as cores. As folhas das árvores estavam muito verdes e brilhantes. O perfume das flores a invadiu. Ela respirou fundo e sorrindo, pensou: Como é lindo este lugar! Toda essa beleza só poderia partir de um Deus maravilhoso que ama seus filhos. Ele nos deu tudo para sermos felizes, por que complicamos tanto? Por que insistimos em sermos infelizes? Bem, por tudo o que aprendi desde que cheguei, Ele sempre soube que seria assim, por isso não deve ficar muito brabo. Se quisesse que fôssemos perfeitos, teria nos feito assim, mas não. Deixou que cada um de nós escolhesse o nosso caminho, para que pudéssemos aprender vivendo. Acho que Ele, quando fez isso, sabia qual seria o resultado. Ficou ali olhando tudo por um bom tempo. O céu agora estava quase todo claro e as nuvens, muito brancas, formavam figuras deslumbrantes. Marina tinha tudo para ser feliz e era. Estava morando lá há muito tempo. Nem podia precisar quanto. Trabalhava em um hospital dando assistência na parte burocrática. Não lidava com os pacientes. Não se sentia preparada para isso. Sentia muita pena das pessoas que chegavam, não sabia como conversar com elas, por isso preferiu não trabalhar com elas diretamente. No inicio sentiu—se mal por ter aqueles sentimentos, sabia que assim que chegavam precisavam de alguém que as recebessem, cuidasse e conversasse com elas. Quando explicou a Humberto sua dificuldade em lidar com pessoas doentes, ele sorrindo, lhe disse: — Não se preocupe com isso, Marina. Seu trabalho, embora seja burocrático também é importante, pois tudo precisa correr bem para que todos também fiquem bem. Ela se lembrou do que Humberto lhe disse e sorriu, pensando: Depois que conversei com ele fiquei mais calma e continuei o meu trabalho, mas hoje sei que tudo vai mudar. Sinto que poderei fazer aquilo com que sempre sonhei e por que estive esperando durante todo esse tempo. Rever minha família e saber como todos estão. Entrou em casa, voltou para seu quarto para se vestir. Enquanto se vestia, tornou a pensar: Preciso me vestir com esmero. Preciso estar bonita para encontrar Humberto. Ele precisa sentir que estou bem, que pode confiar em mim e permitir que me ausente. Estava saindo, quando Ana abriu a porta de seu quarto. Encontraram—se no corredor que levava à sala principal. A sala era g...
e era. Estava morando lá há muito tempo. Nem podia precisar quanto. Trabalhava em um hospital dando assistência na parte burocrática. Não lidava com os pacientes. Não se sentia preparada para isso. Sentia muita pena das pessoas que chegavam, não sabia como conversar com elas, por isso preferiu não trabalhar com elas diretamente. No inicio sentiu—se mal por ter aqueles sentimentos, sabia que assim que chegavam precisavam de alguém que as recebessem, cuidasse e conversasse com elas. Quando explicou a Humberto sua dificuldade em lidar com pessoas doentes, ele sorrindo, lhe disse: — Não se preocupe com isso, Marina. Seu trabalho, embora seja burocrático também é importante, pois tudo precisa correr bem para que todos também fiquem bem. Ela se lembrou do que Humberto lhe disse e sorriu, pensando: Depois que conversei com ele fiquei mais calma e continuei o meu trabalho, mas hoje sei que tudo vai mudar. Sinto que poderei fazer aquilo com que sempre sonhei e por que estive esperando durante todo esse tempo. Rever minha família e saber como todos estão. Entrou em casa, voltou para seu quarto para se vestir. Enquanto se vestia, tornou a pensar: Preciso me vestir com esmero. Preciso estar bonita para encontrar Humberto. Ele precisa sentir que estou bem, que pode confiar em mim e permitir que me ausente. Estava saindo, quando Ana abriu a porta de seu quarto. Encontraram—se no corredor que levava à sala principal. A sala era g...

Ir para a página:
Comentários:
Deixe aqui seu comentário sobre este livro:
Nome:
Comentário:

WhatsApp: (11) 9 9191 6085
Busca Google