You are using an outdated browser. For a faster, safer browsing experience, upgrade for free today.
Anjo de Pedra

Livro: Anjo de Pedra

Autor - Fonte: Helen Brooks

1 / 54 Próxima

... (Stone Angel) Helen Brooks Enrico Meliora parecia ter um coração de pedra. Agia com cinismo em relação a romances e não aceitava a idéia de um dia ter seu coração dominado por uma mulher. Apesar disso, por que Tânia não conseguia ignorá-lo? Parecia que quanto mais Enrico a ignorava, mais ela sentia necessidades de estar junto dele! Afinal, o que havia de especial na personalidade desse homem que a tornava prisioneira de suas próprias paixões? Digitalização: Carla Matos Revisão e formatação : Raquel Copyright © 1995 by Helen Brooks Originalmente publicado em 1994 pela Silhouette Books, divisão da Harlequin Enterprises Limited. Título original: Stone Angel Tradução: Márcia C. Felismino Fusaro Todos os direitos reservados, inclusive o direito de reprodução total ou parcial, sob qualquer forma. Esta edição é publicada através de contrato com a Harlequin Enterprises Limited, Toronto, Canadá. Silhouette, Silhouette Desire e colofão são marcas registradas da Harlequin Enterprises B.V. Todos os personagens desta obra são fictícios. Qualquer semelhança com pessoas vivas ou mortas terá sido mera coincidência. EDITORA NOVA CULTURAL Uma divisão do Círculo do Livro Ltda. Alameda Ministro Rocha Azevedo, 346 - 2a andar CEP: 01410-901 - São Paulo - Brasil Copyright para a língua portuguesa: 1996 CÍRCULO DO LIVRO LTDA. Fotocomposição: Círculo do Livro Impressão e acabamento: Gráfica Círculo CAPÍTULO I Minha nossa! Ele não me viu! Vai bater em mim! Diante do susto, Tânia atirou-se para fora da bicicleta, segundos antes do carro esporte vermelho passar por ela. Ao cair no chão, observou em pânico que a roda de sua bicicleta fora parar embaixo dos pneus do carro. Seguiu-se um barulho ensurdecedor de pneus freando sobre o asfalto. Depois veio um silêncio repentino, como se o mundo houvesse parado por alguns instantes. — Você está bem? Machucou-se? — soou um ...
voz masculina que lhe era desconhecida. Dois braços fortes ergueram-na, forçando-a a sentar-se. Tânia virou o rosto, deparando-se com um belo par de olhos castanhos que a fitavam com preocupação. — Acho que não — respondeu com voz trêmula. Respirando fundo, acrescentou: — Tive apenas arranhões leves. — Ótimo, mas continue sentada por alguns segundos. — Enquanto o estranho ainda a socorria, um bando de garotos se aproximou correndo. Estavam todos pálidos e assustados. — Quem estava dirigindo? — o homem moreno que a socorria inquiriu aos adolescentes. — Eu — declarou um rapaz que não deveria ter mais de dezoito anos. — Garoto irresponsável! — De súbito, o estranho segurou o colarinho do rapaz, quase o fazendo levantar do chão. — Vou te ensinar uma lição que nunca esquecerá! — As palavras pareceram ainda mais ameaçadoras, pelo modo como foram ditas. — Depois disso, duvido que volte a molestar alguém! — Não o machuque, por favor! — pediu Tânia ficando em pé. — Não me feri muito. Por favor, não torne as coisas ainda piores! Enquanto falava, Tânia tocou de leve a manga do terno impecável que o desconhecido usava, mas nem assim convenceu-o a soltar o rapaz. — Esse garoto tem que responder por seus atos — disse o estranho com voz fria, sem nem mesmo olhar para ela. — Se tocá-lo, senhor, terá de nos enfrentar — manifestou-se um outro garoto do grupo, aproximando-se do homem moreno. — Será um prazer — replicou ele, com íris faiscantes. O modo como dissera tais palavras, levou os garotos a entreolharem-se com nervosismo, dando a impressão de procurarem apoio moral uns nos outros. — Por favor, deixe-o em paz — Tânia implorou, sentindo o coração bater mais forte, devido ao temor de um iminente confronto. Apesar do porte atlético e musculoso do estranho que a socorrera, não havia como ele enfrentar cinco rapazes de uma só vez. — Não se preocupe comigo, afinal, este incidente ...

Anterior 2 / 54 Próxima
Comentários:
zil: Bom.
LUCIA MATOS: O ROMANCE É LINDÍSSIMO EU RECOMENDO A MOCINHA NÃO TEM NADA DE BURRA BOM DE LER DO COMEÇO AO FIM AMEI..
marylu: Não dei conta de ler. Odeio mocinha burra. E se as demais páginas forem iguais a primeira, aff. Hora, o moleque tava errado e ela defendendo?.
Esther: Porque os homems acham que nos mulheres sempre temos que esta a sua inteira disposição,mais que petulancia,homem assim merece e muito é um chega pra lá..
Mary Santos: O romance é cativante,''Anjo de Pedra o nome faz jus a história Deus do céu o homem é difícil de li dar com ele mais a mocinha é persistente..
Deixe aqui seu comentário sobre este livro:
Nome:
Comentário: