You are using an outdated browser. For a faster, safer browsing experience, upgrade for free today.
A Voz do Amor

Livro: A Voz do Amor Página 2

Autor - Fonte: Brenda Jackson

Anterior 2 / 59 Próxima
... maginava que seria tão difícil dar seu recado. Deu um forte beliscão no próprio braço para voltar a si e entender, mais uma vez, como deixara tudo aquilo acontecer. Já não era mais uma adolescente sem instruções sobre sexo seguro, e sim, uma mulher de vinte e sete anos que conhecia métodos anticoncepcionais. Pena que estivesse muito ocupada para se prevenir de diversas doenças e do homem que seria o pai de uma criança dentro de sete meses. Para piorar, não sabia quase nada sobre esse homem, a não ser que era um guarda florestal, um especialista em fazer amor. e, evidentemente, em fazer bebês, mesmo que essa não fosse sua proposta. Pelas conversas com a irmã, sabia que Durango era um solteirão convicto. Por isso, ela não faria questão de que ele mudasse de idéia, e simplesmente soubesse da novidade. Logo em seguida voltaria para Filadélfia e cuidaria sozinha da criança. Ergueu a mão para bater na porta, mas antes, soltou todo o ar dos pulmões. Nervosa, deu-se conta de que a última vez que o vira fora há dois meses, saindo do quarto do hotel depois de passarem uma única no ite juntos. Definitivamente, isso não era de seu feitio, jamais desejara casos superficiais, muito menos sexo casual. Mas naquela noite embriagou-se e se sensibilizou com a felicidade da irmã. Patético. Sabia qne não agüentava nem uma gota de álcool, mas mesmo assim, entrou no ritmo da festa e se desinibiu. Desde então, passou diversas noites em claro sonhando com Durango. Recentemente também no dormia pela manhã, devido aos freqüentes enjôos provocados pela gravidez. A única pessoa que sabia de tudo era sua irmã, Jéssica, e ela concordava que Durango tinha o direito de saber e o melhor seria Savannah lhe contar pessoalmente. Respirando fundo, Savannah encheu os pulmões e bateu na porta. O Dodge de Durango estacionado em frente a casa indicava que ele estava lá. Savannah engoliu o nó na garganta ao ouvir a maçaneta virar. A porta foi aber ...
a. Ficou estática e sem respirar diante daquele homem fone, atraente e visivelmente constrangido. Vestido de calça jeans justa e com uma camisa xadrez cobrindo os ombros largos e o peitoral definido, ele continuava tão lindo e irresistível como antes. Ela passou os olhos por todos os traços que a haviam seduzido: os cabelos negros, curtos e cacheados, a pele marrom, os lábios bem definidos e o olhar penetrante. — Savannah? Quanta surpresa! O que lhe traz aqui? Com o estômago contraído, ela pensou no incontável número de mulheres que sentia o mesmo ao vê-lo. Respirou fundo e tentou afastar esses pensamentos. — Preciso falar com você. Posso entrar? — perguntou, breve e objetiva. Ele estranhou um pouco, levantou uma das sobrancelhas e a fitou dizendo: — Claro, entre. Durango não se considerava muito intuitivo, mas estranhou que justo a mulher em quem estava pensando havia poucos minutos, tinha se materializado em frente à porta de sua casa na pior estação do ano em Montana. Ainda que janeiro fosse conhecido como o mês de clima mais rigoroso nas montanhas, fevereiro não era diferente. Portanto, o que Savannah tinha a dizer devia ser muito importante a ponto de trazê-la até os confins da floresta em pleno inverno. Enquanto Savannah pendurava o casaco, as luvas e a touca no cabideiro, Durango observava os contornos do corpo dela, ao mesmo tempo em que tentava entender o motivo daquela visita surpresa. Mas antes, para recebê-la melhor perguntou: — Gostaria de beber algo? Acabei de fazer chocolate quente. — Sim, obrigada. Acho que me aquecerá. Ao vê-la sem casaco, Durango tinha certeza de que eram aquelas as curvas que habitavam suas fantasias. Os seios fartos e firmes, a cintura fina, os quadris graciosamente curvos. Ela era fantástica., a pele cor-de-jambo de seu rosto. e ainda aquele par de olhos. Respirou fundo. Foram aqueles olhos que o fizeram perder o juízo durante o ensaio do casamento na sala de janta ...

Anterior 3 / 59 Próxima
Comentários:
Rosângela: Muito bom.
Ju: Amei muito....
Maria Dalvana: Apaixonante recomendo.
Raquel : Amei.super recomendo.
Thalia Guadalupe: Muito bom amei a história recomendo vale a pena ler.
jo: muito bom, casal lindoooo.
Deixe aqui seu comentário sobre este livro:
Nome:
Comentário: