Whats: (11)991916085


VÍDEO: É O FIM DO MUNDO OU O COMEÇO

Você está em: Página inicial / Apaixonantes / Os Perversos Jogos de um Cavalheiro Página 2
Os Perversos Jogos de um Cavalheiro

Livro: Os Perversos Jogos de um Cavalheiro Página 2

Autor - Fonte: JILLIAN HUNTER

Ir para a página:
...ar minhas forças. Um de seus amigos em comum caminhou relaxadamente atrás deles. - Suponho que não o veremos no leilão amanhã, Boscastle. - disse a Drake em uma voz invejosa. - Condenado diabo afortunado. A risada em resposta de Drake foi repentinamente abafada pelos ânimos que alvoroçavam as pessoas em um baile folclórico. Lançou um olhar sem entusiasmo a seu companheiro. Preferia à irmã ou esposa de um amigo a uma debutante tímida que o contemplasse com esperançoso temor ou que tagarelasse sem sentido depois da dança. Seu olhar inquieto bateu em uma jovem morena, agradavelmente bem formada, com um simples vestido lilás e que estava olhando através da pista de baile. Mostrava-se desorientada e. talvez um pouco frenética. Tinha uma sensação interessante de pânico em seu rosto e sua silhueta era até mais interessante. Muito boa para o que tinha em mente. Só queria passar alguns minutos agradáveis com a mulher, não casar-se com ela. Caminhou tranquilamente para ela, limpando a voz ante o olhar superficial que lhe concedeu antes de afastar-se. Ignorou-o, foi isso que fez? Essa era uma provocação que seus impulsos malvados não poderiam recusar. - Perdeu uma ovelha? - perguntou calmamente, seu queixo roçando seu ouvido. Seus brancos ombros suaves ficaram rígidos. Sabia perfeitamente bem que era consciente dele, mas se recusava a voltar-se para encontrar sua atenção. - Sim, é uma maneira de dizer - ela respondeu distraidamente. Nesse mome...
to outro homem poderia ter desistido. Em lugar disso, estudou seu perfil, o imperfeito nariz patrício, seu queixo teimoso, uma boca exuberantemente bem formada. Seus olhos se desviaram avaliando preguiçosamente seus ombros e as curvas de marfim de seus seios cheios por cima de seu decote. - Procuramos juntos? - Ele perguntou, mascarando seus pensamentos atrás de um sorriso educado. Ela inclinou sua cabeça ligeiramente para avaliá-lo. Seu rosto oval tinha uma expressão de estudado desdém que se evaporou quando seus olhos lentamente se encontraram com os dele. Pestanejou. Ele cravou os olhos nela, desfrutando com sua agradável surpresa. Era na realidade muito bonita. Viu-a morder nervosamente a seu lábio inferior antes de retirar-se com um passo curto. Não o ignoraria agora. Reconhecia uma ameaça à virtude feminina quando a via. - Vamos - disse ele suavemente tomando seu braço. - iremos caçar suas ovelhas na pista de baile. Por casualidade sou hábil na caça. Ela ficou olhando cautelosamente para sua mão antes de pousar o olhar sagaz em seu rosto. A sombra de um sorriso ergueu esses lábios exuberantemente curvados. - Os lobos costumam sê-lo. Ele riu surpreso com sua resposta, e a empurrou para frente. Ela combateu, resistindo, embora não houvesse espaço para que pudesse escapulir. Os convidados já tinham preenchido o espaço onde estavam parados. O salão de baile estava lotado com damas e cavalheiros elegantes. Ruidosos, também. A Drake recordava uma fazenda cheia de galinhas cacarejando e asnos zurrando, o que não falava exatamente bem de sua opinião sobre a Sociedade em seu conjunto. Mal podia ouvir o que sua relutante companheira estava tentando lhe dizer entre o falatório e a música da orquestra. - Fale-me sobre ele mais tarde - disse ele em resposta a seu olhar angustiado. Ele realmente não queria conversar, ou dançar neste caso. Simplesmente queria passar tempo com esta linda desconhecida antes de uma noite de felicidade induzida pelo sexo com uma cortesã que tinha visto apenas uma vez. E até durante essa reunião ele e Maribela não tinham trocado mais que algumas palavras provocantes. Todo este assunto estava vinculado ao rumor e a insinuação, pelo que provavelmente era o que o tornava mais intrigante. - Não é um ele - sua companheira disse forçadamente enquanto ele atraía a relutante figura aos passos da dança. Uma onda inesperada de excitação avivou seus sentidos ante o calor flexível de seu corpo. Havia uma firmeza agradável nela que o atraía. Era uma bailarina suficientemente competente para seguir a pauta sem parecer prestar atenção. Parecia mais preocupada em procurar a quem quer que seja que tivesse perdido que em seus esforços por desarmá-la. Seu olhar dissimulado a estudou enquanto ela enfrentava a pista de baile. Usava seu cabelo para trás, um pesado grupo de cachos de cabelo café marrom realçavam sua pele cremosa. Sem joias exceto por um par de brincos de pérola. Seu ve...
ma fazenda cheia de galinhas cacarejando e asnos zurrando, o que não falava exatamente bem de sua opinião sobre a Sociedade em seu conjunto. Mal podia ouvir o que sua relutante companheira estava tentando lhe dizer entre o falatório e a música da orquestra. - Fale-me sobre ele mais tarde - disse ele em resposta a seu olhar angustiado. Ele realmente não queria conversar, ou dançar neste caso. Simplesmente queria passar tempo com esta linda desconhecida antes de uma noite de felicidade induzida pelo sexo com uma cortesã que tinha visto apenas uma vez. E até durante essa reunião ele e Maribela não tinham trocado mais que algumas palavras provocantes. Todo este assunto estava vinculado ao rumor e a insinuação, pelo que provavelmente era o que o tornava mais intrigante. - Não é um ele - sua companheira disse forçadamente enquanto ele atraía a relutante figura aos passos da dança. Uma onda inesperada de excitação avivou seus sentidos ante o calor flexível de seu corpo. Havia uma firmeza agradável nela que o atraía. Era uma bailarina suficientemente competente para seguir a pauta sem parecer prestar atenção. Parecia mais preocupada em procurar a quem quer que seja que tivesse perdido que em seus esforços por desarmá-la. Seu olhar dissimulado a estudou enquanto ela enfrentava a pista de baile. Usava seu cabelo para trás, um pesado grupo de cachos de cabelo café marrom realçavam sua pele cremosa. Sem joias exceto por um par de brincos de pérola. Seu vestido lilás de musselina não foi desenhado para impressionar a ninguém, tampouco. De fato, parecia uma preceptora, ou a acompanhante de uma senhora. O que explicaria porque estava procurando à ovelha perdida. Provavelmente ele causaria que a despedissem por dançar com ele. Um cavalheiro de meia idade tropeçou nela enquanto o grupo se formava. Drake dirigiu ao homem um olhar e estendeu seu braço sem pensar para estabilizá-la. Seus seios cheios pressionaram através da lingerie branca de seu decote, outra descarga flagrante em seus sentidos. Deixou cair sua mão sobre a elevação de seu bem formado traseiro. Oh, sim. Ela parecia muito agradável, muito prometedora. Ele preferia uma mulher com formas em sua cama. - Rogo-lhe que me perdoe - disse ela, esticando-se para trás para retirar a mão afastando-a - os dedos de alguém estão desviando-se de onde não pertenciam. - Seu bonito rosto oval refletiu uma desaprovação séria que o fez sorrir. Ela tinha os olhos de cor avelã, percebeu. De cor café escuro com ligeiras bolinhas verdes dentro. Pareciam inteligentes e não inteiramente inocentes. - Não precisa me rogar por nada. - De repente seus pensamentos ficaram um pouco selvagens. - Por que não desfrutar por um momento? Ela o olhou como se ele tivesse engolido uma cebola inteira. - Desfrutar? Ele segurou seu pulso. - Não se permite qualquer prazer absolutamente? - Perdi minha cliente - disse irritada antes da dança os separar outra vez, - e não esto...
stido lilás de musselina não foi desenhado para impressionar a ninguém, tampouco. De fato, parecia uma preceptora, ou a acompanhante de uma senhora. O que explicaria porque estava procurando à ovelha perdida. Provavelmente ele causaria que a despedissem por dançar com ele. Um cavalheiro de meia idade tropeçou nela enquanto o grupo se formava. Drake dirigiu ao homem um olhar e estendeu seu braço sem pensar para estabilizá-la. Seus seios cheios pressionaram através da lingerie branca de seu decote, outra descarga flagrante em seus sentidos. Deixou cair sua mão sobre a elevação de seu bem formado traseiro. Oh, sim. Ela parecia muito agradável, muito prometedora. Ele preferia uma mulher com formas em sua cama. - Rogo-lhe que me perdoe - disse ela, esticando-se para trás para retirar a mão afastando-a - os dedos de alguém estão desviando-se de onde não pertenciam. - Seu bonito rosto oval refletiu uma desaprovação séria que o fez sorrir. Ela tinha os olhos de cor avelã, percebeu. De cor café escuro com ligeiras bolinhas verdes dentro. Pareciam inteligentes e não inteiramente inocentes. - Não precisa me rogar por nada. - De repente seus pensamentos ficaram um pouco selvagens. - Por que não desfrutar por um momento? Ela o olhou como se ele tivesse engolido uma cebola inteira. - Desfrutar? Ele segurou seu pulso. - Não se permite qualquer prazer absolutamente? - Perdi minha cliente - disse irritada antes da dança os separar outra vez, - e não esto...

Ir para a página:
Comentários:
Lú: Ótimo .
A.s.franca: Muito bom! ♡ até o momento não tenho o que reclamar da série, histórias ótimas e cativantes rsrs ♡.
Deixe aqui seu comentário sobre este livro:
Nome:
Comentário:

WhatsApp: (11) 9 9191 6085
Busca Google