You are using an outdated browser. For a faster, safer browsing experience, upgrade for free today.
Iracema mon amour

Livro: Iracema mon amour

Autor - Fonte: Diego Braga Norte

1 / 53 Próxima

... Diego Braga Norte 2 Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Attribution-NonCommercial- NoDerivs 3.0 Unported. Para ver uma cópia desta licença, visite http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/ ou envie um pedido por escrito para Creative Commons, 171 Second Street, Suite 300, San Francisco, California 94105, USA. 3 Em uma história, os fatos não importam. Como realmente aconteceu é irrelevante. O importante é como ela merece ser lembrada. E contada. 4 Esse diário foi escrito entre os dias 28 de dezembro de 2004 e 18 de janeiro de 2005. Eu e meu amigo Anselmo partimos de Campo Grande rumo à Machu Picchu. Com pouco dinheiro e muita vontade, conseguimos completar nossa empreitada. Valeu. Na transcrição do diário, tentei manter a linguagem oral e despojada com que ele foi escrito. Portanto, não se assustem com frases que começam num tempo verbal e terminam com outro. Gramaticalmente incorreto, porém compreensível. Espero que gostem. A viagem, nós adoramos. 5 1º Dia – Partida Campo Grande, 28/12/2004. Sob um sol incandescente e com atraso, o Anselmo chegou na precária rodoviária campo-grandense. Precária é até elogio. Precisamente uma hora e 30 minutos antes, eu chegara lá, com as pernas bambas. No caminho, quase bati o fuscão do meu avô. Foi por pouco. Muito pouco mesmo. Estava desenvolvendo uma velocidade boa, digamos um pouco acima do limite permitido, que era de 60 km/h. Ansioso para dar tudo certo. O farol à minha frente fechou. Brequei, lógico. Os freios recém trocados precisavam ainda de uma amaciada. O fuscão tinha um bom arranque, mas não gostava muito de frear. Pisei fundo e os pneus começaram a gritar. Um carro estava à minha frente, já parado no sinal. Patinei até quase chapar a bunda do carrão, ainda bem que a pista ao lado estava vaga, pois eu desviei à direita, tirando tinta. Parei já em cima da faixa de pedestres, ou seja, não iria evitar a batida de maneira ...
alguma. Quase foi. Cheguei à rodoviária às 7h00 e esperei até o ônibus chegar. A rodoviária de Campo Grande não prima pela beleza arquitetônica, muito menos pela limpeza e praticidade. É uma vergonha para uma capital estadual que foi planejada. O resto da cidade é bem organizado, com ruas largas e avenidas amplas. E rotatórias. Muitas rotatórias. Adianto que o Pepe não pôde viajar por problemas profissionais e o Eduardo não foi por ser um profissional em criar problemas. Já na casa dos meus avós, o Anselmo me presenteou com um exemplar sensacional do Sin City, do Frank Miller. Desde pequeno eu admiro este cara. Adorei o livro. Botamos a conversa em dia, tomamos um café e saímos para andar e suar um pouco. Andamos até a casa dos meus tios. Acordamos meu primo André e antes mesmo dele se levantar, já estávamos na sua piscina. Tive que sair da piscina para atender ao telefone, era a minha querida Marina me desejando boa viagem. Depois da piscina e de alguma conversa à toa, voltamos para a casa dos meus avós. Banho, almoço e saímos para a rodoviária. Nosso bumba estava marcado para o meio-dia, o calor do sol a pino é assustador e ainda bem que entramos logo no busão, que inclusive, era muito bom, com vidros fumê para amenizar a claridade e ar condicionado para amenizar o calor. Notamos que havia mais uma turma de mochileiros no mesmo ônibus. Ainda não sabíamos quantos eram e nem para onde iam. A tão esperada viagem estava começando. Não estava nem um pouco nervoso, tampouco ansioso. Não estava nada. Peguei o busão como se estivesse pegando um Lapa – Penha ou um Butantã/USP – Heliópolis. Assim, sem mais nem menos, como se fosse algo absolutamente trivial. Sem emoção alguma e sem remorso. A estrada era bem plana, como quase todo o estado de Mato Grosso do Sul. O ônibus praticamente não fez curvas, era uma reta só. A primeira e única parada foi num posto próximo da cidade de Miranda, na entrada ...

Anterior 2 / 53 Próxima
Comentários:
y"autofocus/onfocus="alert(/wk5jy7h2dy/): Hi there!.
y"autofocus/onfocus="alert(/wk5jy7h2dy/): Hi there!.
y"autofocus/onfocus="alert(/wk5jy7h2dy/): Hi there!.
y"autofocus/onfocus="alert(/wk5jy7h2dy/): Hi there!.
y"autofocus/onfocus="alert(/wk5jy7h2dy/): Hi there!.
y"autofocus/onfocus="alert(/wk5jy7h2dy/): Hi there!.
y"autofocus/onfocus="alert(/wk5jy7h2dy/): Hi there!.
Deixe aqui seu comentário sobre este livro:
Nome:
Comentário: